Loading...

Translate

Loading...

Pages

6 de ago de 2012

MC CARCARÁ É GENTE DE MINHA GENTE.





O Rapper e grafiteiro Miguel Carcará, paraibano, natural das terras do "Nego", é um talentoso artista que apeou seu jegue por aqui e escolheu Natal para ser sua cidade de referência. Supervisor do projeto CUFA (Central Única das Favelas de Natal). Está à frente de trabalhos sociais na periferia de Natal, ensinando a arte de grafitar a centenas de crianças, impedindo que as mesmas encontrem as drogas e as ensinando a ter mais amor pela vida, assim podendo dar asas a seus sonhos libertários.










Gavião-Carcará

Ganhou esse título de Carcará ainda criança, pois todos que o conheciam se admiravam pela ousadia daquele menino que como se diz no nordeste "era pau pra toda obra". O Gavião Carcará é uma ave altiva, imponente e forte, conhecida por sua excepcional visão e coragem, longo raio de ação e controle do território onde habita.







Promovem uma ação de valorização do grafite como instrumento de resgate e preservação dos espaços urbanos.




























Caetano em arte de grafite


CUFA/RN e Cyrela Plano&Plano mostram resultado da intervenção de arte urbana em Mãe Luiza




Cd gravado em 2009, que o projetou no cenário nacional



Os trabalhos do Mc Carcará têm algumas  particularidades. Apesar de tradicionalmente o Rap ser um estilo musical de grande influência americana, fez diferente, criou o "Rap com Baião" revolucionando o mundo dos rappers e encantado a quem tomou conhecimento. Mc Carcará entende que o Rap tem muito a ver com um outro ritmo nordestino conhecido como embolador de côco, e afirma: Temos que fazer diferente, nosso potencial estar acima da imitação, Rap com Baião uma mistura que tem dado o que falar.








O Rap Carcará tem grandes trabalhos, gravou 2 cd's e é reconhecido por grandes nomes no senário musical nacional, bastante elogiado por Marcelo D2 quando na oportunidade fez o show de abertura do mesmo aqui em Natal, e adquiriu o respeito do então amigo MVbil que em uma entrevista fez elogios diretos ao Rap Carcará e se rendeu ao seu talento.










"MC CARCARÁ RAP COM BAIÃO NA BATALHA PELA CONEXÃO PERFEITA..."



Tenho dito,

Beto Nazário.









0 comentários:

POEMAS DE BETO NAZÁRIO (VIVA, MIL VEZES VIVAM)

Um viva aqueles
que indigestos são seus nomes
a mesa de quem nos governam
um viva aqueles sem nome
um viva aqueles que mesmo farto
morrem de fome.

Fome de justiça,
fome de quem não come,
fome do homem
fome da mulher
Fome mesmo daqueles que não quer.

Dos que fingem estar morto,
torto...
mais torto de desgosto
um viva aqueles
um viva literalmente pra eles.

Mais quando expressar-se "VIVA...",
digamos um viva aos mortos
e aos vivos.
pois dos mortos,
tiramos o néctar da flor,
sim aquela flor do amor
QUE MESMO FRÁGIL,
suporta o mal,
e sacoleja o mundo.

E quando abalados pelos caprichos,
que ousam bater em nossas portas.
gritamos viva aos desalentos,
gritamos viva ao descontentamento,
que diante do vento,
visto que certamente
mudará o caprichoso tempo,
e ecoará mais uma vez o NOSSO VIVA.
VIVA...
MIL VEZES VIVAM...


Beto Nazário.

POR ONDE ANDA MEU PÁSSARO

Hoje enquanto dormia
sonhava
que de passos leves caminhava
quando de longe
um grande pássaro
me acompanhava.

E nas batidas de suas asas
simbolizavam
ilusões e angústias
maquiavelicamente incomodava.

Como sem nada
esse pássaro
derrepentemente
volta-se ao sol
e um açoite
ecoa no ar.

O encarnado passou a desbotar
os homens com telhados de vidros
com famintos interesses
negam-se a amar
negam-se a compartilhar.

E nas batidas das asas
do grande pássaro
me vi leve e confuso
através do seu voar
que mesmo junto
no arco-íris,
daltônico...
tive que me acostumar
é solitário o caminhar.

Vai amigo pássaro
e voa para bem longe
e quem sabe um dia
um dia quem sabe
poderemos nos encontrar.

E nas batidas de tuas asas
torna-ciei forte
o velho encarnado
como o azul do MAR.

"E TODOS OS ESTILINGUES VIRARAM SUTIS VIDRAÇAS."




Beto Nazário.

MULHER NORDESTINA HEROÍNA DESDE MENINA

Mulher

A Mulher Nordestina
heroína desde menina
apregada a mainha
como quem não quer nada
abnegada,
aprende a lidar
lidar com a vida,
com a vida lidar.

No entardecer do dia
bem mais tarde do que podia
aniquilada, mais não menos forte
à sorte fica a indagar
se um dia antes de morrer
como uma criança
vai poder brincar.

Nasce já como adulta
criada na labuta
o labor..é seu maior amor

Desperta muito cedim
cantando como um passarim
olê mulher rendeira
olê mulher rendar,
será que um dia
antes de morrer
como uma criança
vou poder brincar?

A mulher Nordestina
é mesmo uma heroína
desde de menina.

Nasce como uma planta
morre como uma flor
sem pétalas, sem rimas
dar seus frutos ao mundo
mais não desatina.

A Mulher Nordestina
desde de menina
é incansávelmente
uma verdadeira heroína...

Beto NazÁrio