Loading...

Translate

Loading...

Pages

28 de nov de 2012

ACS PM/RN TEM MOSTRADO OS CAMINHOS DAS PEDRAS



Acs PM RN

16/11/2012 - ACSPMRN CONSEGUE NA JUSTIÇA DIREITO DE MÃE DE ASSOCIADO REALIZAR CIRURGIA DE URGÊNCIA

Diariamente é noticiado nos meios de comunicação a superlotação dos hospitais de nosso Estado e o descaso com que são tratados os que buscam atendimento que dependem da realização de cirurgia, onde o sofrimento dura uma eternidade até que surja uma tão sonhada vaga para a realização do procedimento.

Na última semana a mãe do Soldado Medeiros que é lotado no CPRE de Goianinha passou por uma situação de sofrimento e constrangimento, isso porque depois de passar cinco dias internada no Hospital de Parnamirim, a mãe do associado foi encaminhada para o Hospital Médico Cirúrgico para realizar uma cirúrgica ortopédica no femur que havia sido fraturada.

Ocorre que ao chegar no hospital, a senhora de sessenta anos que também tem problemas de esquizofrenia e lúpus, teve a informação que a cirurgia não seria realizada porque a paciente tinha outras patologias que não eram tratadas naquela unidade de saúde, e portanto, a paciente iria retornar para casa, mesmo estando com o estado de saúde bastante agravado pela combinação de suas doenças.

Diante dessa situação, o Soldado Medeiros ligou para o plantão jurídico da ACSPMRN no início da noite, sendo prontamente atendido pelo Sargento Miguel e o Doutor Dayvisson, que providenciaram a petição com pedido de liminar e protocolaram no plantão judiciário ainda na mesma noite.

O magistrado de plantão que analisou o pedido deferiu a solicitação do demandante e, por consequência, determinou a internação da mãe do associado e a respectiva realização da cirurgia em uma unidade compatível com o procedimento, pondo um fim a tormenta vivenciada pela idosa e seus familiares.

Depois de todo o ocorrido, o Soldado Medeiros que é lotado no CPRE de Goianinha, ligou novamente para o plantão jurídico da ACSPMRN para agradecer e reconhecer o excelente trabalho realizado pela entidade em um momento de sofrimento onde o associado imaginava não ter mais a quem recorrer.
 

0 comentários:

POEMAS DE BETO NAZÁRIO (VIVA, MIL VEZES VIVAM)

Um viva aqueles
que indigestos são seus nomes
a mesa de quem nos governam
um viva aqueles sem nome
um viva aqueles que mesmo farto
morrem de fome.

Fome de justiça,
fome de quem não come,
fome do homem
fome da mulher
Fome mesmo daqueles que não quer.

Dos que fingem estar morto,
torto...
mais torto de desgosto
um viva aqueles
um viva literalmente pra eles.

Mais quando expressar-se "VIVA...",
digamos um viva aos mortos
e aos vivos.
pois dos mortos,
tiramos o néctar da flor,
sim aquela flor do amor
QUE MESMO FRÁGIL,
suporta o mal,
e sacoleja o mundo.

E quando abalados pelos caprichos,
que ousam bater em nossas portas.
gritamos viva aos desalentos,
gritamos viva ao descontentamento,
que diante do vento,
visto que certamente
mudará o caprichoso tempo,
e ecoará mais uma vez o NOSSO VIVA.
VIVA...
MIL VEZES VIVAM...


Beto Nazário.

POR ONDE ANDA MEU PÁSSARO

Hoje enquanto dormia
sonhava
que de passos leves caminhava
quando de longe
um grande pássaro
me acompanhava.

E nas batidas de suas asas
simbolizavam
ilusões e angústias
maquiavelicamente incomodava.

Como sem nada
esse pássaro
derrepentemente
volta-se ao sol
e um açoite
ecoa no ar.

O encarnado passou a desbotar
os homens com telhados de vidros
com famintos interesses
negam-se a amar
negam-se a compartilhar.

E nas batidas das asas
do grande pássaro
me vi leve e confuso
através do seu voar
que mesmo junto
no arco-íris,
daltônico...
tive que me acostumar
é solitário o caminhar.

Vai amigo pássaro
e voa para bem longe
e quem sabe um dia
um dia quem sabe
poderemos nos encontrar.

E nas batidas de tuas asas
torna-ciei forte
o velho encarnado
como o azul do MAR.

"E TODOS OS ESTILINGUES VIRARAM SUTIS VIDRAÇAS."




Beto Nazário.

MULHER NORDESTINA HEROÍNA DESDE MENINA

Mulher

A Mulher Nordestina
heroína desde menina
apregada a mainha
como quem não quer nada
abnegada,
aprende a lidar
lidar com a vida,
com a vida lidar.

No entardecer do dia
bem mais tarde do que podia
aniquilada, mais não menos forte
à sorte fica a indagar
se um dia antes de morrer
como uma criança
vai poder brincar.

Nasce já como adulta
criada na labuta
o labor..é seu maior amor

Desperta muito cedim
cantando como um passarim
olê mulher rendeira
olê mulher rendar,
será que um dia
antes de morrer
como uma criança
vou poder brincar?

A mulher Nordestina
é mesmo uma heroína
desde de menina.

Nasce como uma planta
morre como uma flor
sem pétalas, sem rimas
dar seus frutos ao mundo
mais não desatina.

A Mulher Nordestina
desde de menina
é incansávelmente
uma verdadeira heroína...

Beto NazÁrio