Loading...

Translate

Loading...

Pages

22 de dez de 2014

S.O.S BOMBEIROS/POLÍCIA MILITAR DO RN

CONCLUINTES DO CURSO DE PSICOLOGIA DA UNIVERSIDADE POTIGUAR DO RN AFIRMAM: 

"OS POLICIAS/BOMBEIROS MILITARES DO RN POR FALTA DE UM APOIO PSICOSSOCIAL ESTÃO DOENTES."


Durante a apresentação de um artigo Científico de conclusão do Curso de Psicologia/2014 da Universidade Potiguar do Rio Grande do Norte, as alunas Adriana Botelho e Jessica Vieira externaram uma preocupação não muito convencional no mundo acadêmico, uma vez que a Saúde Mental de Policiais e Bombeiros Militares do RN nunca tinham sido uma prioridade enquanto objeto de estudo. Tal preocupação surpreendeu a todos, tanto os professores da banca de avaliação quanto aos que estavam ali presente como telespectadores.

Essas Alunas tinham algo em comum que as fizeram sutilmente despertar para essa delicada questão, ambas são filhas e esposa de Policiais Militares. 

Também salientamos que Adriana Botelho se debruça e externa preocupação com o tema não só como pesquisadora e sim como mãe e companheira de um Policial Militar, tendo em vista ser integrante de um movimento pela valorização profissional da categoria policial/bombeiros militar intitulado de (FOMUPM-RN) Fórum de Mulheres de Praças da PM.


Depois de mergulharem profundamente numa pesquisa minuciosa durante sete(07) meses de estudos junto ao corpo clínico da Polícia e Bombeiros Militar/RN entrevistaram vários especialistas da área de Psiquiatria abordando tais atividades técnicas, e concluíram que existiam uma sobrecarga, uma condição excessiva nas atividades desses, entretanto, determinados fatores vinham afetando diretamente a Saúde Mental dessas corporações.


Fora as frustrações relacionadas a estereótipos firmados culturalmente pela própria sociedade estigmatizando diretamente a atividade policial militar em especial.

inércia dos governos, a desvalorização profissional com esses guerreiros sem dar a mínima condição de trabalho, sem investir no material humano, não restaram dúvidas a essas jovens Psicologas a afirmarem que tais situações vem levando esses a condições desumanas no campo de suas atuações.

Faltam material carga inerentes a Segurança direta dessas atividades, sem ressaltar quanto a necessidade de uma condição básica de sobrevivência para todo seguimento profissional que é uma Remuneração digna e uma ascensão funcional bem definida quanto a um plano de carreira.

Segundo as Alunas, Priorizar a Saúde Mental desses combatentes iriam trazer benefícios diretos não só ao Policial/Bombeiro Militar como também a Saúde Pública, uma vez que afeta diretamente ao atendimento do Cidadão em geral. 

Nesses estudos essas Psicólogas chegaram a triste conclusão:

"Até os dias de hoje criam-se e formam-se em nossas academias "Bombeiros e Policial militar esses pseudos super homens absolutamente como máquinas para lidarem com o cidadão e esses homens/máquinas estão prestes a explodirem". 

Essas jovens Psicólogas clamam em caráter de Urgência pela criação de um núcleo de apoio psicossocial pois não veem outra saída, com dedicação exclusiva a esses trabalhadores para  que se encontrem mecanismos que preservem esses colaboradores, tanto como Policiais/Bombeiros Militares e acima de tudo como Cidadãos Brasileiros.

Parabéns as Alunas de Psicologia Adriana Botelho e a Jessica Vieira pelo trabalho e o serviço prestado não só a sociedade como a  esses guerreiros Policiais/Bombeiros Militares que prestam serviços dignos mesmo nas condições anormais que se encontram.


Tenho Dito,


Beto Nazário.













0 comentários:

POEMAS DE BETO NAZÁRIO (VIVA, MIL VEZES VIVAM)

Um viva aqueles
que indigestos são seus nomes
a mesa de quem nos governam
um viva aqueles sem nome
um viva aqueles que mesmo farto
morrem de fome.

Fome de justiça,
fome de quem não come,
fome do homem
fome da mulher
Fome mesmo daqueles que não quer.

Dos que fingem estar morto,
torto...
mais torto de desgosto
um viva aqueles
um viva literalmente pra eles.

Mais quando expressar-se "VIVA...",
digamos um viva aos mortos
e aos vivos.
pois dos mortos,
tiramos o néctar da flor,
sim aquela flor do amor
QUE MESMO FRÁGIL,
suporta o mal,
e sacoleja o mundo.

E quando abalados pelos caprichos,
que ousam bater em nossas portas.
gritamos viva aos desalentos,
gritamos viva ao descontentamento,
que diante do vento,
visto que certamente
mudará o caprichoso tempo,
e ecoará mais uma vez o NOSSO VIVA.
VIVA...
MIL VEZES VIVAM...


Beto Nazário.

POR ONDE ANDA MEU PÁSSARO

Hoje enquanto dormia
sonhava
que de passos leves caminhava
quando de longe
um grande pássaro
me acompanhava.

E nas batidas de suas asas
simbolizavam
ilusões e angústias
maquiavelicamente incomodava.

Como sem nada
esse pássaro
derrepentemente
volta-se ao sol
e um açoite
ecoa no ar.

O encarnado passou a desbotar
os homens com telhados de vidros
com famintos interesses
negam-se a amar
negam-se a compartilhar.

E nas batidas das asas
do grande pássaro
me vi leve e confuso
através do seu voar
que mesmo junto
no arco-íris,
daltônico...
tive que me acostumar
é solitário o caminhar.

Vai amigo pássaro
e voa para bem longe
e quem sabe um dia
um dia quem sabe
poderemos nos encontrar.

E nas batidas de tuas asas
torna-ciei forte
o velho encarnado
como o azul do MAR.

"E TODOS OS ESTILINGUES VIRARAM SUTIS VIDRAÇAS."




Beto Nazário.

MULHER NORDESTINA HEROÍNA DESDE MENINA

Mulher

A Mulher Nordestina
heroína desde menina
apregada a mainha
como quem não quer nada
abnegada,
aprende a lidar
lidar com a vida,
com a vida lidar.

No entardecer do dia
bem mais tarde do que podia
aniquilada, mais não menos forte
à sorte fica a indagar
se um dia antes de morrer
como uma criança
vai poder brincar.

Nasce já como adulta
criada na labuta
o labor..é seu maior amor

Desperta muito cedim
cantando como um passarim
olê mulher rendeira
olê mulher rendar,
será que um dia
antes de morrer
como uma criança
vou poder brincar?

A mulher Nordestina
é mesmo uma heroína
desde de menina.

Nasce como uma planta
morre como uma flor
sem pétalas, sem rimas
dar seus frutos ao mundo
mais não desatina.

A Mulher Nordestina
desde de menina
é incansávelmente
uma verdadeira heroína...

Beto NazÁrio